ORDEM MARTINISTA TEMPLÁRIA

A Você, Homem de Desejo, Saudações!

 

Ele era conhecido como um homem que tinha uma mensagem especial. A França, que se encontrava em uma grande crise política e econômica, parou para ouvi-lo. Por ser amável, inspirador e misterioso, ele causou admiração tanto na nobreza como na plebe. De onde veio seu conhecimento? Embora tratasse de um homem pertencente a elite, ele demonstrava a delicadeza e a profunda compreensão de um filantropo.

 

Esse grande homem foi Louis-Claude de Saint-Martin, o “Filósofo Desconhecido”, pensador profundo e grande iniciado, nascido em 18 de janeiro de 1745, em Amboise, Tourraine, no centro da França, no seio de uma família nobre, mas pouco abastada e desconhecida. Ele ousou a se apresentar nos salões dos ricos aristocratas e a combater, através de discursos inspiradores, seus mesquinhos interesses, tornando-se um ídolo da sociedade francesa. Todo seu esforço tinha um objetivo: afastar o pensamento das pessoas do seu efêmero materialismo e de seus prazeres fugazes, e conduzi-los em direção as realidades da própria vida. Ele queria suscitar, em todos, o interesse pelo misticismo, pela filosofia e pelos segredos do Oriente. Todas as classes da sociedade dirigiam-se a ele para ouvi-lo; e logo o conhecimento que transmitia tornou-se conhecido como Martinismo, por causa de seu nome.

 

Este grande instrutor não reivindicava autoria daquilo que ensinava, mas prestava homenagem a seu grande iniciador Martinez de Pasqually. A todos os que eram dignos, ele revelava que havia um conhecimento superior de que eles podiam compartilhar. Mas, para isso, eles teriam que ser preparados pela Iniciação. São estas Iniciações, com seu simbolismo secular e com os poderes que despertam o Eu Espiritual e a consciência, que dão ao Martinismo seu caráter sublime.

 

Após sua morte, grupos de estudos surgiram para estudar suas obras, e, mais tarde, Papus, fundou a Ordem Martinista, que se dividiu em diversos ramos, entre eles, a Ordem Martinista Templária.

A ORDEM MARTINISTA TEMPLÁRIA

Segundo Papus, fundador da Ordem Martinista, “É uma sociedade mística(...) Como sociedade, o Martinismo é a união das forças invisíveis evocadas para a pesquisa da Verdade (...) A Ordem Martinista é um centro ativo de difusão iniciática. Ela foi constituída para propagar rapidamente e de uma maneira ampla os ensinamentos do oculto e as linhas da tradição  ocidental cristã. A sociedade Martinista tem como primeira característica o respeito a liberdade humana,(...) e, como segunda característica, aceitar em seu seio homens e mulheres. A terceira característica é de ser cristã (...).

 

A Ordem em seu conjunto é antes de tudo uma escola de cavalaria moral, que se esforça em desenvolver a espiritualidade de seus membros, pelo estudo do Mundo Invisível e de suas leis, pelo exercício de devotamento e da assistência intelectual e pela criação em cada espírito de uma fé cada vez mais sólida, baseada na observação e na ciência (...)” (A propos du Martinisme).

 

A Ordem Martinista Templária é uma Ordem Iniciática que, além de preservar os princípios e objetivos acima, visa transmitir a Tradição Iniciática Ocidental aos verdadeiros Homens de Desejo.

 

A palavra Iniciação deriva da palavra latina “INITIUM”, que significa começo; entretanto, para os Martinistas possui dois sentidos: a) um novo estado; b) um novo caminho.

 

Entendendo que estas duas interpretações nada mais são que as “duas faces de uma mesma moeda”, o Martinismo apresenta aos seus adeptos um novo caminho que fatalmente os conduzirá, se mantiverem sua pureza de propósito e levado a termo os Trabalhos e as práticas internas, à um novo estado de Ser.

 

A Iniciação Martinista gera no Iniciado, quando este realmente se dedicada à Grande Obra, uma nova condição, graças a qual pode libertar-se dos preconceitos do mundo comum e fenomênico chegando a Iluminação Interior, também chamado de despertar espiritual.

 

A Ordem Martinista Templária procura organizar a sociedade humana para que cada homem ou mulher se torne um emissário de Deus. Não é um movimento religioso através do qual se procure adorar a Divindade. Sua intenção é ensinar o Martinista alcançar, por seus próprios poderes, aquilo que o não-iniciado considera milagroso.

 

O Martinismo é um sistema de Misticismo Judaico-Cristão. Ele divide-se em duas partes principais. A primeira é de natureza estritamente esotérica. Na concepção Martinista, homem é considerado como a criatura que caiu de sua anterior condição de comunhão com o Ser Supremo, Deus, por ter centralizado seu interesse nas coisas mundanas. O propósito do Martinismo, portanto, é auxiliar o homem a dominar seu ambiente mundano, transcendendo seus limites, para que novamente possa obter uma íntima comunhão com Deus. Este é um propósito que se alcança através dos Rituais e das Práticas Martinistas.

 

Quando o homem adquire a possibilidade de entrar em comunhão, à vontade, com a Inteligência Infinita, e, por conseguinte, de ser iluminado pelo influxo da Sabedoria Divina que recebe, ele está pronto então para aplicar esta sabedoria no reine terrestre no qual ele vive, tornando-se assim um emissário de Deus.

 

O segundo aspecto da Ordem Martinista Templária consiste em instruir as pessoas, não só quanto ao modo de levar uma vida baseada na boa ética, mas, também quanto à beleza do cavalheirismo e dos benefícios e virtudes desse tipo  de vida. Esta fase da instrução quanto ao reto viver, com uma explicação sobre suas recompensas, pode ser chamada de Cristianismo Prático, ou seja, trata-se do “misticismo e do ocultismo prático” da tradição ocidental há muito estabelecida e que possui como um de suas manifestações no mundo a Ordem do Templo, cujos ideais e princípios são preservados pela Ordem Martinista Templária.

 

Em complemento ao que dissemos até aqui, os Martinistas são indivíduos livres, respeitosos e tolerantes com os pensamentos divergentes, e indiferentes a tabus ou preconceitos de qualquer espécie. Os Martinistas ligam-se por sua própria e livre vontade à humanidade, à natureza, e a Deus, tomando com seus trabalhos gradativa consciência do caráter sagrado desta ligação.

 

Como conclusão, podemos afirmar que o Martinismo é um estado de Ser, é um Caminho que deve ser sentido e vivenciado através do Silêncio, realizando em nosso Ser seu objetivo principal: a Reintegração da coletividade no seio do Absoluto.



PEDIDO DE AFILIAÇÃO

O acesso à Ordem Martinista Templária é restrita aos Membros da Sociedade Filosófica de Simbolismo e Esoterismo que atingiram a Segunda Câmara.

Portanto, caso você, tenha se identificado com o Martinismo, poderá iniciar sua caminhada solicitando seu ingresso na Sociedade Filosófica de Simbolismo e Esoterismo. Estaremos lhe aguardando de braços abertos.


“Que a Eterna Luz da Sabedoria Divina Habite em Seu Ser!”

Sociedade Filosófica de Simbolismo e Esoterismo
Caixa Postal - 30072
Rio de Janeiro - RJ - 21350-970 - Brasil

"Reunindo e Estudando as Tradições Esotéricas Ocidental e Oriental."